lunes, 21 de diciembre de 2009

ELDORADO em circulação pelo PROAC


A peça Eldorado fez circulação pelo PROAC.

O projeto apresentado, com o nome ELDORADO RUMO AO ELDORADO, ante o PROAC foi escolhido por essa instituço e contratado por 30.000 reais para fazer circulaçao pelas mesmas cidades onde o ator Eduardo Okamoto fez pesquisa sobre os rabequeiros no estado de São Paulo.

A peça foi apresentada em as seguintes cidades:Miracatu (2), Iguape (2), Cananéia (2) e Eldorado (2).


viernes, 11 de diciembre de 2009

A REVOLTA na Mostra Capiba


Teatro

Quatro peças encerram a Mostra Capiba
Grupos de teatro de Limoeiro e da Várzea são os destaques do festival que está sendo apresentado no Sesc Casa Amarela até o próximo domingo
A Mostra Capiba de Teatro finaliza neste fim de semana sua terceira edição. O evento, realizado no Teatro Capiba do Sesc Casa Amarela, é competitivo e direcionado a espetáculos de cunho contemporâneo, que fizeram sua estreia no último ano. A cada dia serão apresentadas suas peças, com exceção do domingo, quando ocorre a entrega dos prêmios em nove categorias, precedida de aula demonstração com o professor, cenógrafo e diretor João Denys, às 19h.

Hoje, às 15h, tem A ostra, dirigida por Edinaldo Ribeiro. Às 18h, é a vez de A REVOLTA, do Galpão das Artes, de Limoeiro. Com texto do argentino Santiago Serrano e direção de Jadenilson Gomes, a peça traz uma atmosfera que oscila entre o amor e o ódio, tratando do jogo de vingança dentro de uma mesma família. No elenco, Charlon Cabral, Guilherme de Paula, Lucas Rafael, Jadenilson Gomes e Tarcísio Queiroz.

No sábado, a programação começa com Quixotinadas, também de Limoeiro, às 15h, seguida da estreia de Sob um céu de concreto, do Grupo Totem, às 18h. Esta última peça é uma livre adaptação da obra poética de Charles Bukowski, artista reconhecido por subverter rótulos. Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada). Informações: 3267-4400

viernes, 4 de diciembre de 2009

A REVOLTA chega ao Recife



A REVOLTA chega ao Recife e vale conferir espectáculo limoeirense do GALPÃO DAS ARTES na III MOSTRA CAPIBA DE TEATRO
Na próxima sexta –feira, dia 11 de dezembro no Teatro Capiba – SESC de Casa Amarela às 20 horas em única apresentação o espetáculo A Revolta cumpre sua primeira sessão na capital pernambucana.

A montagem foi patrocinada exclusivamente pelo Funcultura, Fundarpe / Governo do Estado – Secretaria de Educação. Projeto este defendido pelo arte-educador Charlon Cabral. Todas as inserções em mostras e festivais tem o incentivo cultural da Prefeitura de Limoeiro.

O texto é de autoria do consagrado argentino Santiago Serrano e direção de Jadenilson Gomes. No palco o elenco de montagens já bem conhecidas do público pernambucano, como A Inconveniência de Ter Coragem, O Macaco Malandro, Deus danado e No Humor Como Na Guerra ( este em janeiro de 2010 cumprirá temporada no Teatro Joaquim Cardozo, sábados e domingos às 20 horas ) : Charlon Cabral, Guilherme de Paula, Lucas Rafael, Jadenilson Gomes e Tarcísio Queiroz.


AS CONQUISTAS EM 2009
O espetáculo recentemente obteve nove indicações e seis premiações na XIII Mostra de Teatro de Vitória de Santo Antão, entre eles realçamos o de espetáculo, de ator e de direção. E em outubro deste ano ainda conquistou premiação no VIII FESTEC - Festival de Esquetes Teatrais de Caruaru: MELHOR ESPETÁCULO, MELHOR DIREÇÃO e MELHOR ILUMINAÇÃO para César Augusto e Jadenilson Gomes. Além das premiações houveram ainda as aclamadas indicações há prêmios: MELHOR ATOR para Charlon Cabral, MELHOR ATOR COADJUVANTE para Jadenilson Gomes e MELHOR CENÁRIO. Tendo ainda participação na primeira edição do Festival de Igarassu e III Mostra SESC de Teatro de Surubim ( dois eventos não competitivos ).


UM POUCO DO ESPETÁCULO
O espetáculo do gênero trágico transfere à plateia uma atmosfera que oscila entre o amor e o ódio. Malva, personagem central, hostil e presa ao seu trono de miséria e poder tenta manipular todos com quem se relaciona. Gerando assim, um incrível jogo de justiça e vingança, onde as peças acabam sendo pessoas do próprio seio familiar, explica o encenador Jadenilson Gomes. Fábio André, responsável pelo Pontinho de Cultura Galpão das Artes ( filiado a ARTEPE ) em Limoeiro destaca que o texto foi escrito em 1984 e se desenvolve num âmbito rural, atemporal. Esmiuçando a questão humana, escancarando a olhos nus a dor de um povo que vive da luta, criando revoluções para fazer valer direitos e propriedades adquiridas ao longo da vida e expropriadas pelos mais fortes, detentores do capital e do poder político. Embates psicológicos, confrontos ideológicos, incertezas, traições, amor e morte. A tragédia de mais uma revolução falida.

SERVIÇO
11 de dezembro, sexta-feira, às 20 horas, entrada r$ 10,00
Teatro Capiba / SESC de Casa Amarela
Av. Professor José dos Anjos, 1109 - Casa Amarela / Recife Telefone: (81) 3267-4400
Contato:
Fábio André ( 81 ) 9684.0567
Jadenilson Gomes ( 81 ) 9922.0591
Charlon Cabral ( 81 ) 9981 . 2826
Blog: http://www.centrodecriacaogalpao.blogspot.com/

lunes, 30 de noviembre de 2009

"A Revolta" com grande sucesso de público e crítica em Pernambuco.


A Consultoria de Ações Culturais e o Galpão das Artes se apresentou com a peça A REVOLTA de Santiago Serrano em duas importantes Mostras de Teatro de Pernambuco (Brasil):


MOSTEV- Mostra de teatro de Vitória-PE (Competitivo) 26/11/09
III Mostra de Teatro de Surubim (não competitivo) Sesc Surubim 28/11/09


Os prêmios recebidos na XII MOSTEV (premiação dia 29/11)

Melhor Iluminação----- Roberto Santos

Melhor Cenário--------Jadenilson Gomes

Melhor Sonoplastia--- Diego Ramos

Melhor Ator---------Charlon Cabral (Malva)

Melhor Direção------ Jadenilson Gomes

Melhor Espetáculo--- A Revolta

Indicação de melhor ator Coadjuvante------ Guilherme de Paula (Sara)


Próxima apresentação : Dia 11/12 ás 20:00 horas na III Mostra de Teatro do Sesc Casa Amarela, no teatro Capiba- Recife-PE. (competitivo)

domingo, 29 de noviembre de 2009

Encerramento do 4º Festival Nacional de Teatro de Piracicaba

Aconteceu neste domingo, 29, o encerramento do 4º. Festival Nacional de Teatro de Piracicaba, com uma cerimônia repleta de bom humor e comanda pelo mestre de cerimônia e diretor da Companhia Estável de Teatro Amador de Piracicaba (CETA), João Scarpa. Com a presença de representantes dos grupos que participaram da Mostra Oficial, artistas e os membros da comissão debatedora, os espetáculos Marias, da Cia Estalo de Teatro de Piracicaba, a Ver Estrelas, do Grupo Travessia, de Santa Bárbara D’Oeste e Nekrópolis, do Grupo Formação 10 de Santo André, foram os destaques do Fentepira 2009.

O musical Nekropolis, que encerrou o festival no sábado, recebeu quatro troféus: destaque para elenco, encenação, dramaturgia e projeto sonoro. Marias foi consenso entre público e comissão debatedora, recebendo os dois troféus como destaque para espetáculo adulto. A atriz Marina Henrique, emocionada, dedicou o prêmio a todos os artistas de Piracicaba, principalmente aqueles que têm levado o nome da cidade pelos festivais do país. Na categoria infantil, o voto popular e da comissão debatedora foi para a Ver Estrelas, do Grupo Travessia, de Santa Bárbara D’Oeste.

Dois intérpretes do espetáculo Astros, Patas e Bananas mereceram o destaque da comissão debatedora: Andréia Nhur e Douglas Emílio. Eduardo Okamoto, pelo espetáculo Eldorado e as atrizes Gabriela e Marina Henrique, pelo espetáculo Marias também receberam destaques como intérpretes.

Confira toda a seleção de premiados do 4º. Festival Nacional de Teatro de Piracicaba.

Destaque para Elenco
Indicados: Beira Rio, Nekropolis, A Ver Estrelas, Astros, Patas e Bananas
Vencedor: Nekropolis

Destaques para Interprete
Andréia Nhur – Astros, Patas e Bananas
Douglas Emílio - Astros, Patas e Bananas
Eduardo Okamoto – Eldorado
Gabriela e Marina Henrique – Marias (concedido a ambas por ser impossível dissociar seus trabalhos)

Destaque para Encenação
Indicados: Réquiem, Marias, Nekropolis
Vencedor: Nekropolis

Destaque para Dramaturgia
Indicados: Santiago Serrano – Eldorado
Eduardo Américo, Gabriela Elias, Marina Henrique - Marias
Roberto Alvim – Nekropolis
Vencedor: Roberto Alvim - Nekropolis

Destaque para Projeto Cenográfico
Indicados: Mauro Martorelli - Requiem
Luiz Biasi e Silvia Mokreys – Cindi Hip Hop
Eduardo Américo, Gabriela Elias, Marina Henrique, Paulo Heise - Marias
Vencedor: Mauro Martorelli – Réquiem

Destaque para Projeto de Iluminação
Indicados: Roberto Gill Camargo – Astros Patas e Bananas
Taty Kantea – Réquiem
Wagner antonio – Nekropolis
Vencedor: Roberto Gill Camargo – Astros Patas e Bananas

Destaque para Projeto Sonoro
Indicados: Gustavo Kurlat – Nekropolis
Alex Buck - Réquiem
Eduardo Américo – Marias
Vencedor: Gustavo Kurlat – Nekropolis

Destaque para Projeto de Indumentária
Indicados: Inês Sacay - Réquiem
Luciana Felipe – Beira Rio
Inês Sacay – Réquiem
Eder Lopes - Nekropolis
Vencedor: Inês Sacay - Réquiem

Destaque de Espetáculo Crianças e Adolescentes (Voto Popular)
A Ver Estrelas

Destaque Espetáculo Adulto (Voto Popular)
Marias

Destaque de Espetáculo Adulto (Comissão Debatedora)
Indicados:
Réquiem
Marias
Nekropolis
Vencedor: Marias

Destaque Espetáculo Crianças e Adolescentes (Comissão Debatedora)
A Ver Estrelas

SERVIÇO:
4º. FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE PIRACICABA (FENTEPIRA)
DATA: 21 a 29 de novembro de 2009
INFORMAÇÕES: 19 3433.4952 3434 2168

martes, 24 de noviembre de 2009

CHIMENEAS SIN HUMO en La Paz - Bolivia


El Taller Nacional de Teatro vuelve a las tablas
(2009-11-24)

El Ministerio de Culturas del Estado Plurinacional de Bolivia junto al Viceministerio de Interculturalidad y el Taller Nacional de Teatro tienen el agrado de invitar a todos los amantes del arte dramático al montaje final del Curso Laboratorio de Teatro 2009 del TNT. Esto se realizará el jueves 26 de noviembre, a horas 19.30, en el Teatro Municipal de Cámara de La Paz (c. Jenaro Sanjinés, entre Indaburo e Ingavi, al lado del Teatro Municipal). LA ENTRADA ES LIBRE.


Las Obras de teatro a presentarse son:


El rabo y Los mutantes, de José Ruibal (España).

Los Nadies, de Carolina Calema (Argentina).

Chimeneas sin humo, de Santiago Serrano (Argentina).



Coordinador del Taller Nacional de Teatro:

Daniel González Gómez – Acebo.

http://www.rebocultura.net/paginas/contenido.php?con=noticia&id=1009

lunes, 23 de noviembre de 2009

DINOSAURIOS - Grupo de Lujan en la Fiesta Provincial del Teatro

COMIENZA EN LA PLATA LA FIESTA DEL TEATRO PROVINCIAL CON LA PARTICIPACIÓN DE UN REPRESENTANTE DE LUJÁN
En el festival participará el grupo C-So de Luján con la obra “Dinosaurios” de Santiago Serrano. La función será el Viernes 27 a las 19.00. hs. Sala “Armando Discépolo” Calle 12 entre 62 y 63
Dinosaurios -
Grupo: C-So
Localidad: Luján
Síntesis argumental: Narra la historia de Silvina y Nicolás dos seres que se encuentran en una solitaria estación de un tren que nunca llega. La estación, perdida en el tiempo, será el vínculo que logra romper el hielo de la indiferencia y pondrá en evidencia la necesidad de estos seres de ser náufragos en un inconmensurable mar.
Ficha técnico artística
Autoría: Santiago Serrano
Dirección: Darío Scarnatto

jueves, 19 de noviembre de 2009

"ENTRE NOS" por Ova Teatro de Puerto Montt- Chile




OVA TEATRO
Esta compañía se ha formado el año 2007 . Tres actrices profesionales que optaron por trabajar en provincia de manera activa en distintos proyectos teatrales y en el área de la docencia además de la actuación en sí . Se fueron conociendo más a fondo entablaron una amistad y decidieron llevarla al escenario, coincidiendo que querían tratar, por lo menos al principio, temas de mujeres.
Fue así como nació OVA TEATRO y “Entre Nos” . En cuanto al objetivo general de esta compañía, no es más ni menos que hacer buen teatro en la región de Los Lagos, generando por sí misma las condiciones ideales para lograrlo y generar el hábito del espectador provinciano de asistir al espectáculo teatral como algo normal y necesario que fortalece el alma del ser humano.

Dirección : Rosana Ilabaca Parry / Actriz Teatro, Universidad Católica. Radicada en Puerto Montt desde 1996. Ha participado como actriz en obras como a “Puerta Cerrada”, de J.P. Sastre, dirigida por Jorge Loncon; “Cicatrices de la Memoria”, de Jorge Díaz, dirigida por Rafael Arenas; “Neruda desnuda”, autor y dirección Rafael Arenas; “Chueca” de Amalia Bander, dirigida por Rene Ivonne Figueroa.Como directora este es segundo trabajo luego del montaje de la “Secretaobscenidad de cada día” con la Cia. Teatrofia. Actualmente se desempeñacomo docente de Balmaceda Arte Joven Los Lagos.

Actrices :

Alejandra Vera Osorio / Actriz Teatro, Escuela de Teatro de PatricioAchura y Eduardo Mujica. Por mucho tiempo ha sido integrante de la compañía de teatro “Paxis” de la ciudad de Puerto Montt . Sus dos últimos montajes fueron :“Metamorfosis” de Franz Kafka, dirigida por Giovanni Bessaza y “Mujerde carne y verso”; monólogo teatral dirigido al programa de sexualidad delServicio Nacional de la Mujer, Puerto Montt Chile

Ivonne Iroumé Urrutia / Actriz Teatro, Escuela Imagen ( Gustavo Meza) /Instituto Profesional de Teatro La Casa ( Fernando Cuadra)Los últimos montajes años 2007 - 2008, en que ha participado comoactriz, aparte de “Entre Nos”, han sido : “A la Deriva”( Max Aub) dirigida porFernando Díaz , “Murmuraciones acerca de la muerte de un juez” ( GustavoMeza) codirigida por Gustavo Meza y Mauricio de la Parra, “XXX” ( CristianMancilla dirigida por Cristian Mancilla y “Canto para una semilla” ; relatora del texto escrito por Violeta Parra, dirigiendo la cantata el músico GustavoBarrientos . Paralelo a sus actividades como actriz, se desempeña como docente del área teatral en las universidades Santo Tomas, Universidad de los Lagos yCorporación Balmaceda 12 15 Arte Joven en la ciudad de Puerto Montt .


“ ENTRE NOS” de Santiago Serrano


LEONOR (Ivonne Iroume) puede ser cualquiera de nosotras que ha renunciado al exitismo por sacar adelante su hogar. Ese hogar es su refugio y también su prisión. Por su parte, Laura, interpretada por Alejandra Vera, es todo aquello que LEONOR no pudo ser. Y sin embargo, al verlas una frente a la otra, nos preguntamos: ¿qué tan diferentes son en realidad estas dos mujeres?

Sin duda, Entre Nos, escrita por el argentino Santiago Serrano, rescata la cotidianeidad de cualquiera gran urbe, latinoamericana o no, a través del diálogo de estas dos mujeres perdidas en medio del ajetreo. Por otra parte, la dirección de Rosana Ilabaca denota un trabajo psicológico de los personajes y una escenografía natural y austera.


Escenografía, Vestuario y Maquillaje:Maria Ester Chapa / Licenciada en Artes de la Universidad Católica de Valparaíso. Artista plástica radicada en la zona desde el año 2000. Ha participado en numerosas exposiciones individuales y colectivas en Santiago, Valparaíso y Puerto Montt

Iluminación y sonido : Rosana Ilabaca

Gráfica : María Ester Chapa, Cristina Furrianca y Millaray Mendoza

domingo, 15 de noviembre de 2009

ELDORADO em Fentepira 2009



Definidos os selecionados para o Festival Nacional de Teatro de Piracicaba

Evento acontece de 21 a 29 de novembro com apresentações, oficinas e debates.


Piracicaba (SP) 08/08/09 – A Secretaria Municipal da Ação Cultural e a Associação Piracicabana de Teatro (APITE!) divulgaram no início da noite da terça-feira, 8, os selecionados para o 4º Festival Nacional de Teatro de Piracicaba (Fentepira). Foram mais de 150 obras analisadas e dez espetáculos escolhidos. Sendo sete adultos e três infantis. A Comissão de Seleção que, analisou durante toda a semana, a documentação de cada grupo, que reunia currículo, DVD´s com gravações dos espetáculos, fotos e clipping de divulgação.
Foram remetidos à comissão organizadora do Fentepira trabalhos de oito estados brasileiros e, na seleção, foram definidas representações dos estados de São Paulo, Rio de janeiro, Paraná e Minas Gerais. Com foco diferenciado das edições anteriores, o julgamento privilegiou o trabalho como um todo, não destacando individualmente atores ou companhias. “A decisão foi difícil para os selecionadores, que se surpreenderam com a excelência artística do material apresentando, provando que a cada ano o Fentepira amplia respeito e credibilidade junto à classe artística nacional”, disse Felipe de Menezes, Diretor de Teatro e Membro da Comissão Organizadora.
Os espetáculos selecionados na categoria adulto, para o festival que acontece de 21 a 29 de novembro em diversos espaços culturais da cidade foram: A Ver Estrelas, da cidade de Santa Bárbara D’Oeste, com o Grupo Travessia; Beira Rio de Piracicaba, da Companhia Estável de Teatro Amador (CETA), Eldorado,monólogo com o ator Eduardo Okamoto, da capital paulista, Manter em Local Seco e Arejado da companhia paulistana PH2: Estado de Teatro, Marias, da Companhia Coletivo Estalo, de Piracicaba,Nekrópolis, do grupo Formação 10 de São Paulo e Réquiem, da Companhia Lazzo de São Paulo.
Na categoria criança e adolescente foram três os espetáculos selecionados: Astros, Patas e Bananas, da Companhia Katharsis, de Sorocaba, Cindi Hip Hop do Núcleo Bartholomeu de Depoimentos, de São Paulo eHistórias Brincantes de Muitas Mainhas, com a Cia do Abração, de Curitiba (PR).
A Secretária municipal da Ação Cultural, Rosângela Camolese avaliou que a grande participação de grupos de várias partes do país é um estímulo para o teatro Piracicabano. “O Fentepira foi uma solicitação da classe artística que em 2005 foi acolhida pelo poder público com muito carinho, sendo esta a segunda edição realizada através da lei municipal. O festival tem objetivos claros: estimular internamente às artes cênicas e levar o nome de Piracicaba a várias partes do país, ampliando a participação, repercussão e penetração do festival na cultura brasileira”, disse. Para a secretária, o Festival também é uma oportunidade de dar visibilidade aos trabalhos locais, pela integração entre os grupos selecionados e também com os que ficam de fora da seleção, que mesmo assim, mantém o interesse pela exibição e pelo resultado final a fim de aprimorarem seus espetáculos. “Assim contribuímos com o fomento da arte teatral nos níveis municipal, estadual e nacional”, avaliou.


ELDORADO, monólogo com o ator Eduardo Okamoto, de São Paulo (SP)


Acompanhado por uma “menina”, um cego busca encontrar o que nenhum homem pôde jamais: Eldorado. Toda estória se resume nisto: era uma vez um homem que procura. Nos tempos e lugares da viagem, haja espaço para humanidades – travessia. O espetáculo nasce da observação da realidade, da interação com construtores e tocadores de rabeca, instrumento de arco e cordas, parecido com o violino, presente em muitas manifestações da cultura popular do Brasil. Desta maneira, procurou-se exercitar o olhar, encontrando no cotidiano os pequenos acontecimentos poéticos. Entre as margens da estória e da história, Eldorado procura recriar realidades. Assim, possamos recriar a nós mesmos. Eldorado fala destes territórios de viagem. Ali, onde o viajante é atravessado enquanto atravessa geografias. Ali, onde todo homem é único e igual a todos os demais

FICHA TÉCNICA
Concepção, pesquisa e atuação: Eduardo Okamoto
Dramaturgia: Santiago Serrano
Direção e Iluminação: Marcelo Lazzaratto
Figurino: Verônica Fabrini
Preparação em rabeca e Trilha Sonora Original: Luiz Henrique Fiaminghi
Orientação: Renato Ferracini e Suzi Frankl Sperber
Produção: Daniele Sampaio

ELENCO
Eduardo Okamoto

viernes, 13 de noviembre de 2009

A REVOLTA na III Mostra SESC de teatro em SURUBIM




A Consultoria de Ações Culturais e o Galpão das Artes, Leva até Surubim-PE seus três espetáculos teatrais.

III Mostra SESC de Teatro

Serviço:

Dia 25/11-19:00h-O Amor do Bumba Coração de Prata Pela Burrinha Florisbela- Praça da Matriz- Centro.
O AMOR DO BUMBA CORAÇÃO DE PRATA PELA BURRINHA FLORISBELA (Rua)
TEXTO: Sandra Fragôso ENCENAÇÃO: Jadenilson Gomes
SINOPSE: O espetáculo “O Amor do Bumba Coração de Prata pela Burrinha Florisbela” Traz ao público uma poética história de amor entre o Bumba coração de prata e uma burrinha, brincante do cavalo-marinho. Após se perder de sua amada o bumba trava uma longa jornada pelos festejos populares para encontra a burrinha Florisbela, mas para encontrá-la o bumba precisa desvendar mistérios e enigmas para realizar o sonho de brincar com sua amada. Depois de percorre varias brincadeiras populares através dos três ciclos de festejos, o sonho chega ao fim com o reencontro, e ele podem festejar com um grande final brincante o cavalo-marinho.


Dia 27/11-20:00h- A Revolta- Colégio Marista

A REVOLTA (Tragédia)

TEXTO: Santiago Serrano
ENCENAÇÂO: Jadenilson Gomes
SINOPSE: Malva, personagem central, hostil e presa ao seu trono de miséria e poder tenta manipular a todos com quem se relaciona, gerando assim, um incrível jogo de justiça e vingança, onde as peças acabam sendo pessoas do próprio seio familiar.


Dia 28/11-20:00h- No Humor, Como na Guerra...- Colégio Marista
NO HUMOR, COMO NA GUERRA... (Comédia)
TEXTO: Victor Ribeiro ENCENAÇÂO: Charlon Cabral
SINOPSE: Atores em um dado momento decidem de forma espontânea, gentil e bem humorada abrirem as portas do teatro para o público conferir uma proximidade entre artistas e espectadores através da cena. Com uma dose generosa de bom humor e sátira, os atores levados por um impulso criativo transformam quadros humorísticos do cotidiano em uma nuance cênica reflexiva. Temas do dia-a-dia como religião, preconceito, política, história, mistério e loucura humana são postos frente a frente ao público estabelecendo assim, uma identificação reflexível entre momentos diários e performance teatral.

viernes, 6 de noviembre de 2009

ENTRE NOS- Última función en Teatro del Ángel

El domingo 8 de noviembre se despide el espectáculo Mujeres 4 X 4 , conformado por las obras "Bety Godt, la inconquistable" de Daniel Sasovsky y "Entre Nos" de Santiago Serrano, en el Teatro Del Ángel (Mario Bravo 1239)
Ambos textos cuentan con la dirección de Patricia Palmer y la actuación de Maria Ines Caccavo, Maria Fernanda Gamboa, Maria Florencia Piturro y Noelia Virgina Rossi.







"ENTRE NOS" en Concepción del Uruguay


Estrenan obra en la Sociedad Italiana
El Taller de Teatro Las Máscaras de la Sociedad Italiana de Concepción del Uruguay estrenará mañana sábado una nueva obra de teatro en su escenario de 3 de Febrero 165. Se trata de la obra “Entre Nosotras” de Santiago Serrano y que cuenta con la Dirección General de Héctor Ferrari.
“Invitamos a todos los amantes del teatro de la ciudad a acercarse a la Sociedad italiana para ver esta obra, donde hay puesto mucho empeño, mucho trabajo, mucho sacrificio, muchas horas de ensayo arriba y debajo del escenario, pero el resultado creo que no defraudará a nadie y se podrá ver este sábado”, contó a La Prensa Federal el director Ferrari.
“Entre Nosotras” es interpretada por Mimi Vouilloud y Andrea Duré, en los roles de dos amigas que se encuentran para hablar de sus experiencias y los diálogos se encuentran enmarcados en un gran personaje: la soledad. Además la obra cuenta con la asistencia técnica del profesor Mario Duten y de Agustín Ferrari.
El director y las protagonistas describen la obra de la siguiente manera: “El mediodía es el tiempo del encuentro de dos almas solas. Un banco, dos mujeres… y la soledad; las vivencias y los recuerdos anidan como gorriones heridos y sin nido… La angustia, la depresión, la resignación, son en el encuentro el desgarrante grito de la desesperanza. Pero… se sientan, se miran y se ven… desde el fondo del corazón todo. Se agolpan las imágenes de sus vidas hasta encontrar la dulzura de ser mujer y entonces aparecen los sueños, cambios y esperanzas”.
http://www.laprensafederal.com.ar/despachos.asp?cod_des=78357&ID_Seccion=165

miércoles, 28 de octubre de 2009

"LAS HIJAS DE EVA" función 1 de noviembre en Necochea


"Las hijas de Eva” es una obra cómica del dramaturgo argentino Santiago Serrano, dirigida por Rodrigo Cirigliano, se presentará el domingo 1 de noviembre a las 20hs en el Clan del Faro. El elenco está integrado por Mariel Rodríguez, Erica Sturm, Susana Rautto, Maria Latubersa, Angela Vergara, Florencia Ressia, Rosario Guerrero, Mariana Almar, Luciana Ale y Graciela Losino.
Con mucho humor la obra recorre el rol social de la mujer a lo largo de la historia. Originalmente la obra fue escrita para ser representada en la Universidad Stendhal de Grenoble - Francia.

sábado, 24 de octubre de 2009

ENTRE NOS- 31 de octubre en Ituzaingó


(Ituzaingó) – Continuando con el cronograma de actividades culturales correspondiente al Espacio de Teatro en Ituzaingó (ETI) se presentará la obra “Entre Nos” de Santiago Serrano, el próximo sábado 31 de octubre a las 21 hs.
En el ETI –Mansilla 893- los vecinos podrán disfrutar de la obra que cuenta con la Dirección de Jorge Destéfano.

Resumen de la obra
En una plaza, precisamente en un banco, se encuentran dos mujeres de aparentes distintas realidades. Una ama de casa que pasó toda su vida atendiendo a su familia, haciendo las tareas de la casa, viendo telenovelas, dedicándose al tejido en sus ratos libres. Y una ejecutiva, encargada del personal en una empresa, soltera y con perspectivas de solterona, independiente, compulsivamente nerviosa y en tratamientos médicos varios.
La obra gira en torno a la charla que por momentos resulta muy cómica, reflejando “sus mundos” y las grandes similitudes que finalmente poseen.

Fuente: Municipalidad de Ituzaingó

jueves, 22 de octubre de 2009

DINOSAURIOS en Lujan - 24 de octubre


Sábado 24/Octubre 22:00hs)*

Una obra de teatro excelente, dirigida por Dario Scarnatto.
Con la actuación de Graciela Iribarne y Luís Vallejo.
Volvé a conmoverte con las cosas simples.
!No te lo pierdas!!!!!!
Entrada $15Informacion y reservas:
Alsina 1175 - Lujan (despues de las 17:00hs)
Tel: 011 15 3012 9812 - 02323 438679

miércoles, 21 de octubre de 2009

ELDORADO em SESC do Araraquara


TEATRO
O projeto “Monólogos em Cenas”
No dia 23/10, sexta, às 20h, no Teatro do SESC


Eldorado
A jornada de um cego em procura de um paraiso perdido.
Enquanto atravessa geografias, esse homem escuta causos e canções, tendo como companheira sua rabeca.
Concepção, pesquisa e atuação de Eduardo Okamoto, dramaturgia de Santiago Serrano e direção de Marcelo Lazzaratto.
Após o espetáculo acontece um bate-papo.23/10, sexta, às 20h. Teatro. Recomendação etária: acima de 12 anos.

martes, 20 de octubre de 2009

MIRAR Y NO TOCAR- Quinto Deva - Cordoba

"Que ruido tan triste es el que hacen dos cuerpos cuando se aman". Obras Cortas. Dirección y puesta en escena: Oscar Rojo. Sala: Quinto Deva. Córdoba, Argentina


Las obras son: La vida Rosaura, de Susana Gutiérrez Posse; Fuerte leve, leve fuerte, de Ariel Barchilón; Mirar y no tocar (Se mira y no se toca), de Santiago Serrano; El mal dormir, de Sanchís Sinisterra.
Mirar y no tocar (Se mira y no se toca) fue premiada en el primer certamen de teatro Breve del Instituto Nacional del Teatro.

viernes, 16 de octubre de 2009

"LAS HIJAS DE EVA" estreno en el Clan del Faro- Necochea

El Grupo teatral del Clan del Faro estreno el 10 de octubre mi obra "Las Hijas de Eva". Viaje a Necochea para asistir a la función. Fue un fin de semana maravilloso en donde no solo disfrute del trabajo del grupo sino que también pude conocer el enorme esfuerzo que realizan para brindarle a su ciudad de un espacio donde la creatividad es el mayor motor.

Rodrigo Cirigliano, de tan solo 21 años, coordina este espacio. El edificio antiguamente fue una Sinagoga y fue cedida como Centro Cultural por la Colectividad Judía.

Ojalá tanto esfuerzo sea apoyado por la comunidad y las autoridades del municipio.

Si viajan a Necochea no dejen de conocer este emprendimiento maravilloso!!!!!!!



miércoles, 14 de octubre de 2009

"ENTRE NOS" en Carlos Pellegrini- Santa Fé


Anoche en el Centro Cultural, auspiciadas por la Comuna de Carlos Pellegrini y el Sindicato de Amas de Casa, se presentaron dos obras de teatro. La primera, dirigida por el pellegrinense Marcelo Truccolo, puso en escena al grupo “Teatro de la Cañada”, de Cañada Rosquín.

Las actrices María Laura Omiso y Cristina de Omiso personificaron a las protagonistas de la obra “Entre Nos” del autor Santiago Serrano.

En una plaza, precisamente en un banco, se encuentran dos mujeres de aparentes distintas realidades. Una ama de casa que pasó toda su vida atendiendo a su familia, haciendo las tareas de la casa, viendo telenovelas, dedicándose al tejido en sus ratos libres. Y una ejecutiva, encargada de personal en una empresa, soltera y con perspectivas de solterona, independiente, compulsivamente nerviosa y en tratamientos médicos varios.

La obra gira en torno a la charla de las dos mujeres, que por momentos resultó muy cómica, reflejando “sus mundos”, pero que al final se dan cuenta de las grandes similitudes de buen pasar y de carencias que tienen. Bien lograda, “Entre Nos” logró divertir y reflexionar a la platea con una buena puesta en escena y un sostenido ritmo.
http://www.portalpellegrinense.com.ar/modules.php?name=News&file=article&sid=7765

miércoles, 7 de octubre de 2009

"ENTRE NOS" en Quilmes- Centro de Artes Identidad Sur

Grupo teatral VICVE.

Stella Victoria y Veronica Torres.

Mujeres en un encuentro casual, dos elecciones de como ser mujer, mediante el humor , la ironia y el sentimiento"
Sabado 10 de octubre, 21.30hs.
Vicente Lopez 1509, esq Perón- Quilmes
IDENTIDAD SUR Centro de Artes

LAS HIJAS DE EVA en Necochea - Argentina

"Las hijas de Eva” es una obra cómica del dramaturgo argentino Santiago Serrano, dirigida por Rodrigo Cirigliano, que se estrenará el sábado próximo, a partir de las 22, en el Clan del Faro. El elenco está integrado por Mariel Rodríguez, Erica Sturm, Susana Rautto, Maria Latubersa, Angela Vergara, Florencia Ressia, Rosario Guerrero, Mariana Almar, Luciana Ale y Graciela Losino.
Con mucho humor la obra recorre el rol social de la mujer a lo largo de la historia. Originalmente la obra fue escrita para ser representada en la Universidad Stendhal de Grenoble - Francia.

martes, 6 de octubre de 2009

ENTRE NOS - En Ituzaingó- Buenos Aires

Octubre comienza el encuentro de cuenta cuentos y obras de teatro en Ituzaingó
La Subsecretaría de Promoción Social y Políticas Culturales del Gobierno Municipal de Ituzaingó, informó que durante el mes de octubre continuarán las actividades del Espacio de Teatro en Ituzaingó –ETI- de Mansilla 893.
La cartelera del próximo mes contará con diversas opciones para los vecinos interesados en el teatro y la narrativa.
El cronograma para octubre es el siguiente:
3/10: a las 21., “Dos Gallos Ciegos” (de Alberto Cattán). Dirigido por Jorge Villar.
4/10: a las 18., “III Encuentro Internacional de Cuenta Cuentos” (Coordinado por Inés Bombara).
10/10: a las 21.: Entre Nos” (de Santiago Serrano). Dirigido por Jorge Destéfano.
24/10: a las 21. “”La Fatalidad de los Amantes” (de Marcos Denevi). Dirigido por Angel Ullua.
31/10: a las 2. Entre Nos” (de Santiago Serrano). Dirigido por Jorge Destéfano

ELDORADO completa seu primeiro ano na I Mostra CPFL de Teatro em Campinas

A Cena em Crise - I Mostra CPFL de Teatro
O teatro está em crise. Mas não é nem de longe uma crise somente financeira, ideológica ou formal. A cena está em crise porque a própria linguagem teatral quer potencializar-se e autocriticar-se. Essa crise de linguagem nos projeta diretamente para uma enorme turbulência da própria representação enquanto conceito e enquanto encenação; e imerso nesse fluxo-movimento turbulento o teatro se autodefine em suas próprias bases. Há muito a dramaturgia se descentraliza: a criação cênica não mais se pauta somente na dramaturgia textual. O textocentrismo é criticado. A dramaturgia explode em multiplicidade: no contemporâneo falamos em dramaturgia do corpo, dramaturgia da luz, dramaturgia do som, dramaturgia do espaço, dramaturgia do tempo. Cada uma dessas diferenças expressivas cênicas comporta uma independência de criação com suas potencias de sentido (ou não sentido) que se enlaçam numa textura-cena que podemos chamar de espetáculo.

O corpo-em-arte não mais representa uma personagem; não mais simplesmente traduz um texto ou busca significados de ação dramática. Não mais busca a ilusão, mas se apresenta em potência presente. Ele se desloca do significado ou da tradução e grita uma certa materialidade que se agencia em sua própria superfície de textura, ou seja, a cena e o corpo-em-arte não mais a serviço da representação mas como potencias deles mesmos. A cena hoje busca dessemantizar o sentido na busca de gerar sentidos outros e ser uma espécie de agente provocador – juntamente com o corpo-em-arte presente e potente - liberto do sentido dado a priori, de um jogo montado a priori, de uma personagem construída a priori. As macropercepções formais de representação dão lugar – ou buscam dar – às formas de forças de potencia virtual que geram um território de micropercepções que afeta e cria sensações poéticas outras. Falamos aqui de um teatro de micropolíticas que buscam explodir e fissurar as percepções e sensações de um território do senso-comum.

Essa mostra busca trazer ao público essa discussão não de forma teórica ou conceitual, mas através e por meio da própria linguagem teatral. Uma discussão da crise cênica realizada na e pela própria cena. Traz espetáculos e encenações que discutem essa crise na própria poética de encenação (lugar por excelência do pensamento estético teatral), seja pelo riso, pela ironia, pela potência do corpo presente ou pela desconstrução e reconstruções de textos que questionam a si mesmos.

Além da discussão cênica na cena, teremos também duas mesas com especialistas e artistas pensadores do teatro contemporâneo no Brasil. Essas duas mesas-discussões-diálogos buscarão não refletir SOBRE a cena atual, mas, principalmente, gerar pontos de tensão e diferenças COM o teatro e suas questões. Serão dois debates crises: no primeiro a pergunta base: “Construir ou desconstruir a cena?” será um foco de luz. Em outro dia teremos algumas palavras emblemáticas nas discussões atuais: “Dramático - Pós-Dramatico / Ficção – Materialidade” construindo os trilhos do diálogo.

Aproveite! Antropofagie! E bom apetite!
Curador:
Renato Ferracini é, desde 1993, ator-pesquisador-colaborador integrante do LUME - Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais - UNICAMP, desenvolvendo pesquisas em todas linhas de trabalho do núcleo. É doutor pelo Depto. de Multimeios - Instituto de Artes – UNICAMP além de editor e colaborador permanente da Revista do LUME. É autor dos livros "A Arte de Não Interpretar como Poesia Corpórea do Ator”, “Café com Queijo - Corpos em Criação” e organizador do livro “Corpos em Fuga, Corpos em Arte”.

ESPETÁCULO ELDORADO EM CAMPINAS

QUANDO: 14/10 às 20h

ONDE: Centro Cultural CPFL - Rua Jorge Figueiredo Corrêa, 1632 - Chácara Primavera

INFORMAÇÕES: 19 3756-8000 / 8166.9675Clipe no link: http://www.youtube.com/watch?v=oI06H0llwi0

"ENTRE NOS" EN CARLOS PELLEGRINI- SANTA FE


El próximo 12 de octubre se presentarán en nuestra localidad, dos obras de teatro.

Nos visitan artistas de Cañada Rosquín que dirige Marcelo Trúccolo y un grupo de Rosario que integra Damián Cerdá.

La cita es el 12 de Octubre de 2009, a las 20.30 hs. en el Centro Cultural “José Mazzini”.

“Dos horas… dos obras de teatro para disfrutar…” afirma el slogan, en el cual se presentarán:

Teatro de la Cañada: “Entre Nos” de Santiago Serrano.

Actúan: María Laura Omiso y Cristina de Omiso

Dirección: Marcelo Trúccolo

La Jalada: “Función tétrica y ciudadana”.

Basada en textos de Fontanarrosa y Rodolfo Walsh.

Actúan: Franco, Marcos y Damián “Chino” Cerdá.

Dirección: Adrián Almaraz.

Anticipadas en venta: $10. Afiliados de SACRA y Jubilados: 30% de descuento, en Ferroestación, consultar a Rosita Ferreyra o Analía Gastaudo.

Auspicia: Sindicato de Amas de Casa.

Invita: Comuna de Carlos Pellegrini

domingo, 4 de octubre de 2009

"ENTRE NOS" EN PERGAMINO

El Taller Florentino presenta hoy dos obras de teatro
El tercer año del Taller de Teatro Florentino (entrenamiento) volverá a escena esta noche, a partir de las 22:00, con las obras: “Entre Nos” de Santiago Serrano, con Marizu Di Giácomo y Silvina Ceballos, la asistencia de dirección de Belén Valentini y dirección de Neme Carenzo. La soledad de la mujer en sus distintas versiones, la que trabaja y la que queda en casa atendiendo la familia son representadas con humor a través del texto elaborado por Serrano, uno de los autores más reconocidos de la nueva generación de dramaturgos.
Luego será el turno de “El día y la noche”, creación colectiva, con Daniela Adamini y Mabel Piergallini. La asistencia de dirección es de Vicky Lofiego y la dirección de Ernesto Carenzo. La decadencia de la burguesía, el abandono, lo patético encarnado en un personaje muy particular y su fiel ama de llaves que se debate en la incertidumbre de querer a su patrona o abandonarla en su miseria. El sonido y las luces de ambas obras están a cargo de Vicky Lofiego y las fotografías son de Laura Riera.
La Opinion de Pergamino

ENTRE NOS EN EL TALLER DEL ANGEL

El ciclo teatral Mujeres 4 x 4 presentará hoy Bety Godt -la inconquistable- y Entre nos , comedias de Daniel Sasovsky y Santiago Serrano, respectivamente. Con las actuaciones de María Inés Caccavo, María Fernanda Gamboa, María Florencia Piturro y Noelia Virginia Rossi, dirigidas por Patricia Palmer. Domingos, a las 18, en el Teatro del Angel, Mario Bravo 1239. Reservas, en el 4963-1571.

lunes, 28 de septiembre de 2009

DINOSAURIOS - ÚNICA FUNCIÓN EN LUJÁN


D I N O S A U R I O S

De Santiago Serrano


Graciela Iribarne y Luis Vallejo


.....qué pasará mañana….?
…..todavía es hoy.


Dirección: Darío Scarnatto


UNICA FUNCION-SABADO 3 DE OCTUBRE
21,30 hs.

ONIRIA- MULTIESPACIO CULTURAL-
Alsina 1175-Luján.Bs.As
TE: 02323-15601067

DINOSSAUROS NO FESTIVAL DE VITORIA


Cultura divulga peças locais e nacionais do 5º Festival Nacional de Teatro da Vitoria.

Comédia, drama, musical, monólogo e outras produções teatrais de artistas capixabas foram selecionadas para o 5º Festival Nacional de Teatro de Vitória, que a Prefeitura realiza de 13 a 20 de outubro, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Semc). Serão 25 espetáculos, sendo nove produções do Espírito Santo e 14 de outros Estados (incluindo duas peças de Cuba, e outras de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Acre, Goiás e Sergipe).


TEATRO CARLOS GOMES


DINOSSAUROS...OU AINDA É HOJE - ES

Dia: 15 de outubro / Quinta

Horário: 20h Duração: 60'

Direção geral: ALTAIR CAETANO

Texto: SANTIAGO SERRANO


Sinopse: O espetáculo fala da sensibilidade e da busca da felicidade num mundo cada vez mais opressor. Sentimentos como ingenuidade e ternura caracterizam os personagens Silvina e Nicolas, verdadeiros seres em extinção, como dinossauros. E para não desaparecer, para voltar a ter esperança, o casal precisa inventar o futuro possível. Os dois lutam para escapar da rotina que os oprime.


FICHA TÉCNICA:


Autor: Santiago Serrano

Produção: Maria Alice Costa

Elenco: Maria Alice Costa e Othoniel Cibien

Figurino: a equipe

Cenografia e iluminação: Altair Caetano

Sonoplastia: a equipe

Operador de som: Starley Fontes

sábado, 26 de septiembre de 2009

Obra Corta- MIRAR Y NO TOCAR



MIRAR Y NO TOCAR

De Santiago Serrano


Ganadora 4ª Concurso Nacional de Obras de Teatro Breve
Instituto Nacional del Teatro (Argentina)



Living de un apartamento. Es de noche . Un hombre se pasea por la habitación. Cada tanto se detiene y disimuladamente mira hacia fuera. Su esposa le habla desde la cocina.

Mujer:
¿Sigue mirando?

Hombre:
No puedo asegurarlo. A veces tengo la certeza... pero hoy no puedo asegurarlo

Mujer:
¿Querés que mire yo?

Hombre:
No. Cualquier movimiento extraño lo haría esconderse.

Mujer:
¿Qué busca?

Hombre:
Quien sabe. Sigamos con la rutina. Algún día se aburrirá y dejará de mirarnos.

Mujer:
¿Hombre o mujer?

Hombre:
Una silueta en la ventana, eso es todo lo que vi con el rabillo del ojo.

Mujer:
¿Porqué constuirán los edificios tan cercanos los unos a los otros?

Hombre:
Para que nosotros pongamos la distancia.

Mujer:
Quizás esté solo.

Hombre:
Nunca vi más de uno.

Mujer:
Seguro que nos envidia

Hombre:
Quien puede saberlo

Mujer:
¿Dos huevos o uno?

Hombre:
Uno

Mujer:
¿Fritos o poché?

Hombre:
Poché

Mujer:
¿Bife angosto o bife ancho?

Hombre:
Angosto. Ahí está

Mujer:
¿Podés verlo?

Hombre:
Sí. Ya está con la habitación en penumbras, mirando.

Mujer:
¿Ya puedo llevar la comida?

Hombre:
Traela, pero no sobre actúes. Sé natural. Cualquier cambio hace que aumente el interés.

Mujer:
Ahí voy.

Hombre:
Despacio

Mujer:
Hoy estoy nerviosa, prefiero quedarme en la cocina.

Hombre:
Si no te ve se quedará esperando durante horas.

Mujer:
Bajá la persiana y tendremos una noche para nosotros.

Hombre:
Odio tener la ventana cerrada. Me produce claustrofobia. Que cierre él la ventana. Entrá despacio.

La mujer entra finalmente. Se la nota tensa.

Mujer:
¿Así está bien?

Hombre:
Sí. Avanza, no te detengas.

Mujer:
¿Porqué no vas y le tocás su portero eléctrico y le decís que no nos mire más?

Hombre:
¿Qué prueba tenemos de que nos mira?¿Y si es un error?. Se burlará de nosotros. Pensaría que estamos paranoicos. Él tiene a derecho a mirar por su ventana.

Mujer:
Nosotros tenemos derecho a la privacidad.

Hombre:
Tranquila. Sentate y comamos. Ya se irá, se aburrirá y se irá.

Mujer:
Quizás lo que le gusta es nuestra rutina, nuestra repetición constante.

Hombre:
Quién sabe.

Mujer:
Hace más de un año que nos mira.

Hombre:
Exactamente dieciséis meses y veintidós días.

Mujer:
Fue cuando te diste cuenta. No podés asegurar que todo no haya empezado antes.

Hombre:
Es verdad. Pero intuyo que esa fue la primera vez. Nunca antes había sentido lo sentí desde ese día hasta hoy: una presencia... una intrusión... .

Mujer:
¿Sigue mirando?

Hombre:
Está. Estoy seguro. ¿Te sirvo vino?

Mujer:
Hoy no creo resistir esta tensión. La cena es nuestro único momento juntos.

Hombre:
Se movió. Está inquieto. Relajate.

Mujer:
¿Qué me relaje o que se relaje?

Hombre:
Que se relajen los dos. ¿Y el pan?

Mujer:
No compré hoy.

Hombre:
¿¡Cómo que no compraste!?

Mujer:
Fue una broma. Una broma que lleva dieciséis meses y veintidós días. Ese día te dije que no había comprado. Ahora me levanto a buscarlo. Tranquilo.

Hombre:
Despacio.

Mujer:
Sé que un día no voy a comprarlo realmente, así esto se termina.

Hombre:
Ni se te ocurra esa locura.

Mujer:
¿A quién mirará?

Hombre:
Empezás con lo mismo. No creemos competencia.

Mujer:
A veces pienso que se masturba junto a la ventana.¿No lo ves moviéndose rítmicamente?

Hombre:
Ya te dije que no. ¿Cómo podría excitarse con un matrimonio que come sus alimentos?

Mujer:
La sexualidad es tan amplia.

Hombre:
¿Tan amplia?

Mujer:
Así dicen.

Hombre:
No hagás trampa, no introduzcas el tenedor en la boca de esa manera. Esto no es una película pornográfica.

Mujer:
En la pornografía también siempre hacen lo mismo.

Hombre:
Es verdad. La vida se está tornando pornográfica entonces.

Mujer:
No te pasés la lengua por los labios.

Hombre:
No te acaricies la pierna como las putas.

Mujer:
No te sobes la entrepierna.

Hombre:
No te roces los pezones con los brazos.

Mujer:
No sé si podré resistir más tiempo.

Hombre:
Tengo una erección de grado cinco.

Mujer:
Yo estoy húmeda.

Hombre:
Control. Control.

Mujer:
¿Novedades en el trabajo?

Hombre:
Te cuento mientras tomamos el café.

Mujer:
Es verdad.

Hombre:
Yo lo traigo.

Mujer:
¿Y si fuera un ciego que solo mira el interior de sus ojos? Alguien que solo ve imágenes perdidas y pasadas.

Hombre:
Alguna vez lo pensé. Si fuera así habríamos perdido dieciséis meses y veintidós días de nuestra vida.

Mujer:
¿Novedades en el trabajo?

Hombre:
Despidieron a Fernández. Agarrate la cabeza.

Mujer:
(Tomándose la cabeza)¿¡Despidieron a Fernández?!

Hombre:
Racionamiento de personal.

Mujer:
Pobre hombre.

Hombre:
Mientras no me toque a mí...

Mujer:
¿Cuántos Fernández quedan?

Hombre:
Creo que quedan para dos meses más. Luego comenzarán por los García. Para los Pérez queda tiempo afortunadamente.

Mujer:
¡No sabés lo que pasó en el supermercado!.

Hombre:
Eso viene luego de acariciarte la cabeza.

Mujer:
Estás equivocado. Viene ahora. ¡No sabés lo que pasó en el supermercado!.

Hombre:
Es verdad. Me equivoqué.

Mujer:
Una mujer devolvió parte de sus compras porque no le alcanzaba el dinero.

Hombre:
¿En serio?

Mujer:
Era una anciana y tenía un monedero tan pero tan pequeño que solo pudo comprar un pan y una leche.

Hombre:
¡Qué difícil está la situación!. Cada día está peor. No sé dónde iremos a parar.

Mujer:
Ese gesto lo has perfeccionado y te sale cada día mejor.

Hombre:
¿En serio?

Mujer:
Somos afortunados. Al menos podemos mantener nuestra rutina. Eso es un lujo.

Hombre:
Ahora te acaricio la cabeza. Eso le encanta. Nuestra visita gusta mucho de este momento.

Mujer:
¿Cómo sabés?

Hombre:
Siento que se inclina contra el vidrio. Él siente que algo más va a pasar.

Mujer:
Quizás ahora se masturbe.

Hombre:
No te roces los pezones con los brazos.

Mujer:
No te pases la lengua por los labios.

Hombre:
No te acaricies la pierna como una puta.

Mujer:
No te sobes la entrepierna. No podré resistir por mucho tiempo.

Hombre:
Tengo una erección de grado siete.

Mujer:
Estoy anegada.

Hombre:
Control. Control. Ya falta poco.

Mujer:
Alejate porque no respondo de mí.

Hombre:
La erección es demasiado evidente para alejarme.

Mujer:
Control. Control.

Hombre:
Ya todo está en calma, el músculo duerme, la ambición descansa.

Mujer:
¿Prendo el televisor?

Hombre:
Sí, prendelo.

Mujer:
Hay transmisión en directo. Tomaron dos rehenes.

Hombre:
Seguridad era la de antes.

Mujer:
¡Qué horror ser rehén, perder la libertad!

Hombre:
Se está moviendo. Creo que va a cerrar su persiana.

Mujer:
¡Por fin!

Hombre:
Siempre puntual. Cuidado que tarda en cerrar.Le gusta echar un último vistazo por las hendijas.

Mujer:
Es eterno este momento.

Hombre:
Quizás si no volviera lo extrañaríamos.

Mujer:
¿Te parece? Es posible.

Hombre:
Ya se fue.

Mujer:
Por fin estamos solos. (Ambos se miran) Ahora estamos libres para hacer lo que queramos.

Hombre:
(Desvistiendose) ¡Cómo me gusta sacarme este traje!

Mujer:
(Desvistiendose) ¡No hay nada como soltar la carne!

Hombre:
Yo apago esta luz. La luz del televisor alcanza.

Mujer:
Es perfecta.

Hombre:
(Los dos se aproximan a la ventana) Los del quinto piso están tomando la sopa. Seguro que él hace ruidos al beberla. Ella sí que lo hace como una dama.

Mujer:
La del duplex barre de noche. La muy tonta no sabe que trae mala suerte.

Hombre:
Es una artista tomando la sopa....

Se funde la luz de la habitación. La luz que entra del exterior recorta las siluetas de los dos en la ventana.

Telón

Queda absolutamente prohibido representar o reproducir este material sin autorización del autor: santiagoms_2000@yahoo.com

PEÇA CURTA- “Se Olha e não se Toca”



“Se Olha e não se Toca”


De Santiago Serrano (Junho 2001)
santiagoms_2000@yahoo.com

Tradução de Adriana Cubas e Santiago Serrano

Vencedora do 4ª Concurso Nacional de peças de Teatro Breve
Instituto Nacional del Teatro (Argentina)


O texto está registrado e protegido pelas leis da propriedade intelectual.
Para sua utilização é necessário solicitar autorização ao autor
.



Sala de jantar de um apartamento. É de noite . Um homem caminha pelo quarto. Ele fica um segundo quieto e olha dissimuladamente na direção da janela. Sua mulher fala para ele da cozinha.


Mulher:
Ele ainda está olhando?

Homem:
Não posso garantir. Algumas vezes tenho certeza... mas hoje não posso garantir.

Mulher:
Você quer que eu olhe?

Homem:
Não. Qualquer movimento estranho fará com que ele tenha mais vontade.

Mulher:
O que ele procura?

Homem:
Quem sabe. Continuemos com a rotina. Algum dia ele se entediará e deixará de nos olhar.

Mulher:
Homem ou mulher?

Homem:
Uma silhueta na janela, isso é tudo o que eu vi com o rabo do olho.

Mulher:
Por que construíram os prédios tão próximos?

Homem:
Para que coloquemos nós a distância.

Mulher:
Talvez esteja sozinho.

Homem:
Eu só vi uma silueta.

Mulher:
Provavelmente ele inveja a gente.

Homem:
Quem pode saber?

Mulher:
Dois ovos ou um?

Homem:
Um.

Mulher:
Fritos ou pochê?

Homem:
Pochê.

Mulher:
Picanha ou costela?

Homem:
Costela. Aí está ele!

Mulher:
Você pode vê-lo?

Homem:
Sim. Já está com o quarto em penumbras, olhando.

Mulher:
Já posso trazer a comida?

Homem:
Sim, mas não seja canastrona. Seja natural. Qualquer mudança faz com que ele tenha mais vontade.

Mulher:
Aí vou.

Homem:
Devagar.

Mulher:
Hoje estou nervosa, prefiro ficar na cozinha.

Homem:
Ele ficará horas esperando para ver você.

Mulher:
Abaixa a persiana e assim teremos uma noite só para a gente.

Homem:
Odeio ter a janela fechada. Tenho claustrofobia. Que ele feche a janela. Entre agora, devagar.

A mulher entra finalmente. Está muito tensa.

Mulher:
Assim está bom?

Homem:
Legal. Avance, não pare.

Mulher:
Por que você não interfona para o apartamento dele e lhe diz para não nos olhar mais?

Homem:
Que prova temos de que ele nos espia? Se nós estivermos enganados? Ele zombará de nós. Vai achar que somos paranóicos. Ele tem direito de olhar pela sua janela.

Mulher:
E nós temos direito à privacidade.

Homem:
Calma. Sente-se, vamos jantar. Ele irá embora, vai se entediar e irá embora.

Mulher:
Talvez ele goste de nossa rotina, nossa repetição constante.

Homem:
Quem sabe.

Mulher:
Faz mais de um ano que ele nos olha.

Homem:
Exatamente dezesseis meses e vinte e dois dias.

Mulher:
Foi quando você o descobriu. Você não pode assegurar de que tudo não começou muito antes.

Homem:
É verdade. Mas eu acho que essa foi a primeira vez. Jamais antes tinha sentido o que senti a partir desse dia até hoje: uma presença… uma intrusão... .

Mulher:
Ainda está olhando?

Homem:
Está. Eu acredito. Sirvo vinho para você?

Mulher:
Hoje não posso tolerar esta tensão. O jantar é nosso único momento de intimidade.

Homem:
Ele se moveu. Está inquieto. Relaxe!

Mulher:
Que eu relaxe ou que ele relaxe?

Homem:
Relaxem os dois! E o pão?

Mulher:
Não comprei hoje.

Homem:
Como não comprou!?

Mulher:
Foi uma brincadeira. Uma brincadeira que já tem dezesseis meses e vinte e dois dias. Esse dia eu te disse que não tinha comprado. Agora vou trazê-lo. Calma.

Homem:
Devagar.

Mulher:
Eu sei que um dia não vou comprá-lo realmente, assim tudo isto termina.

Homem:
Não faça essa loucura!

Mulher:
Quem é que ele vigia? A você ou a mim?

Homem:
Vai começar de novo? Não criemos rivalidade.

Mulher:
Algumas vezes penso que ele se masturba perto à janela. Não o vê movendo-se ritmicamente?

Homem:
Já disse a você que não. Como poderia excitar-se com um casal que come seus alimentos?

Mulher:
A sexualidade é muito vasta.

Homem:
Tão vasta?

Mulher:
Assim dizem.

Homem:
Não faça trapaças, não introduza o garfo na boca dessa maneira. Isto não é um filme pornográfico. Mulher: Na pornografia também fazem sempre o mesmo. Homem: É verdade. A vida está se tornando pornográfica então.

Mulher:
Não passe a língua pelos lábios.

Homem:
Não acaricie a perna como as prostitutas.

Mulher:
Não esfregue a virilha. Homem: Não roce os mamilos com os braços. Mulher: Não sei se poderei resistir mais tempo. Homem: Estou sísmico. Eu tenho uma ereção de grau cinco na escala Mercalli.Mulher: Eu estou molhada.

Homem:
Controle. Controle.

Mulher:
Novidades no trabalho?

Homem:
Eu te falo enquanto bebemos o café.

Mulher:
É verdade.

Homem:
Vou trazê-lo.

Mulher:
E se ele for um cego que só olha o interior de seus olhos? Alguém que só vê imagens perdidas e passadas de seu cérebro.

Homem:

Já pensei nisso. Mas se é como você diz, teríamos perdidos dezesseis meses e vinte e dois dias de nossas vidas.

Mulher:
Novidades no trabalho?

Homem:
Despediram Fernandes. Leve as mãos à cabeça.

Mulher:
(Levando as mãos à cabeça) Despediram Fernandes?!

Homem:
Corte de funcionários.

Mulher:
Pobre homem.

Homem:
O importante é que ainda eu não serei despedido.

Mulher:
Quantos Fernandes ainda faltam para serem despedidos?

Homem:
Acho que ainda vai demorar uns dois meses. Logo começarão os Garcia. Até chegarmos aos Peres, felizmente, ainda falta muito.

Mulher:
Não sabe o que aconteceu no supermercado!

Homem:
Isso vem depois que eu acaricio sua cabeça.

Mulher:
Você está errado. Vem agora. Não sabe o que aconteceu no supermercado!.

Homem:
É verdade. Eu me enganei.

Mulher:
Uma mulher devolveu parte da sua compra porque não tinha dinheiro suficiente.

Homem:
É mesmo?

Mulher:
Era uma idosa e tinha um porta-moedas tão pequeno que só pôde comprar um pão e um leite.

Homem:
Que difícil essa situação! Cada dia está pior. Não sei onde vamos parar. (Faz um gesto dramático)

Mulher:
Você tem aperfeiçoado esse gesto. Está cada dia melhor.

Homem:
É mesmo?

Mulher:
Somos afortunados. Ao menos podemos manter nossa rotina. Isso é um luxo.

Homem:
Agora te acaricio a cabeça. Ele adora isso. Nossa visita gosta muito deste momento.

Mulher:
Como você sabe?

Homem:
Sinto que ele se inclina contra o vidro. Ele sente que algo mais vai acontecer.

Mulher:
Talvez agora se masturbe.

Homem:
Não roce os mamilos com os braços.

Mulher:
Não passe a língua pelos lábios.

Homem:
Não acaricie a perna como as prostitutas.

Mulher:
Não esfregue a virilha. Não poderei resistir por muito tempo.

Homem:
Tenho una ereção de grau sete.

Mulher:
Estou molhada.

Homem:
Controle. Controle. Falta pouco.

Mulher:
Afaste-se de mim. Já não posso controlar-me.

Homem:
Minha ereção é muito evidente para me afastar.

Mulher:
Controle. Controle.

Homem:
Já está tudo calmo, o músculo dorme, a ambição descansa.

Mulher:
Ligo a televisão?

Homem:
Sim, ligue.

Mulher:
Está ao vivo, fizeram dois reféns.

Homem:
A segurança não é a mesma de antes.

Mulher:
Que horror ser refém, perder a liberdade!

Homem:
Ele está se movendo. Acho que vai fechar sua persiana.

Mulher:
Até que enfim!

Homem:
Sempre pontual. Cuidado, que ele demora para fechá-la . Gosta de dar uma útima olhada pelas fendas.

Mulher:
É eterno este momento.

Homem:
Talvez se ele não voltasse, nós teríamos saudades.

Mulher:
Você acha? É possível.

Homem:
Ele já se foi.

Mulher:
Por fim, estamos sozinhos. (O casal se olha) Agora somos livres para fazer o que queremos.

Homem:
Como eu gosto de tirar meu terno! (Tira sua roupa)

Mulher:
Nada como liberar a carne! (Tira sua roupa)

Homem:
Eu apago a luz. A luz da televisão é suficiente.

Mulher:
É perfeita.

Homem:
(Os dois aproximam-se da janela e espiam por ela) Os do quinto andar estão tomando a sopa. Com certeza ele faz barulho ao tomá-la. Ela sim, toma a sopa como uma dama.

Mulher:
A mulher do duplex varre de noite. A grandissíssima tonta não sabe que dá má sorte.

Homem:
É uma artista tomando a sopa....

Baixa a luz do quarto. A luz que entra do exterior recorta as silhuetas dos dois na janela.

FIM

jueves, 24 de septiembre de 2009

Mais fotos da Oficina de Dramaturgía em Brasilia 2009- Cena Contêmporanea










Espetáculo Eldorado será apresentado no SESC São José dos Campos



A vida dos rabequeiros, construtores e tocadores de rabeca, instrumento de arco e cordas presente em manifestações da cultura popular do Brasil, foi o ponto de partida para o ator Eduardo Okamoto montar o espetáculo "Eldorado", que será apresentado no SESC São José dos Campos, no próximo dia 25, sexta-feira, às 21h.

Okamoto realizou pesquisas de campo nas cidades de Iguape e Cananéia, no litoral sul de São Paulo. A região é conhecida por sua grande concentração de elementos da cultura caiçara, entre elas o Fandango. A rabeca é um dos instrumentos que acompanham os bailes fandagueiros.O espetáculo narra a história de um cego que, acompanhado por uma menina, busca encontrar o que nenhum homem pôde jamais: Eldorado.

A peça fala de territórios de viagem, onde o viajante é atravessado enquanto atravessa geografias.

O espetáculo tem dramaturgía de Santiago Serrano e direção de Marcelo Lazzaroto, diretor da Companhia Elevador de Teatro panorâmico, de São Paulo. Na finalização do trabalho, Luiz Henrique Fiaminghi, do grupo Anima, desenvolveu a pesquisa musical para o espetáculo e realizaou a preparação do ator para tocar rabeca, que é executada, ao vivo, como parte da trilha sonora. Usando exclusivamente a rabeca como instrumento, a trilha desenha paisagens, dialoga com o atore cria ambientação emocional.

Eldorado será apresentado no auditório do SESC. Os ingressos estão à venda em toda rede SESCSP com preços que variam entre R$ 3,00 e R$ 12,00. Recomendação etária 14 anos.

O espetáculo integra a programação do projeto Muitos Brasis que, de 16 a 27 de setembro, celebra a diversidade brasileira nas várias áreas de atuação do SESC.

O SESC fica na Av. Dr. Adhemar de Barros, 999 – Jd. São Dimas. Mais informações pelo telefone 12.3904.2000.

miércoles, 23 de septiembre de 2009

Comentarios do público na temporada de Dinossauros em São Paulo

Megoh Lee

Atriz e Educadora Ambiental


Adorei, aliás adorámos, eu e a Karina Cataldo fomos no domingo. Texto lindo, engraçado, surpreendente, delicado, gostamos muito. Sempre vejo seus textos no cinema

Paula Marini
Jornalista e atriz


Fui ver a peça quinta.. estreia.. Foi difícil assistir e ficar quieta na cadeira. É uma porrada no estomago. Profunda .. Que mostra a nossa solidão e a nossa falta de capacidade de nos deixar chegar mais perto do outro para conhecê-lo melhor e deixar o outro se aproximar mais de nós. Vivemos reclusos . Somos fugidios de nós. Temos medo da mudança. Porém a mudança na peça também é paradoxal porque e pra quê mudar uma essencia tão linda de criança que quer brincar e amar ? Enfim é isso ! A atriz é excelente..O ator também, mas a atriz é esplendorosa.

Reginaldo Nascimento
Diretor teatral- Grupo Kaus


Vimos ontem Dinossauros,e gostei muito do trabalho realmente o mais dificil é ser simples é ter uma sensibilidade que possibilita um encontro de almas e tudo funciona muito bem na peça , existe uma sintonia magica que nos prende e nos arrebata. Como sempre uma maravilha de texto, eu ja tinha lido algumas vezes mas assistir é algo magico que so o teatro nos possibilita, PARABENNSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Moises Miastkwosky
Diretor teatral

Fui ver Dinossauros...
Muito bom o trabalho desse grupo, são artistas apaixonados pelo teatro...
A montagem é de muita qualidadeartistica e técnica....
Fiquei emocionado pela sensibilidade do texto que gostei muito e pelo respeito que o elenco tem pela sua obra….
Eu não conhecia esse grupo teatral. E serio e competente.
Santiago eu não pude conversar com o grupo e se voce puder dar os meus parabéns , eu agradeço.
Você é um autor que respeito mucho e as suas obras poderiam estar nas bibliotecas brasileiras para que os grupos de teatro do Brasil descubram a qualidade da sua dramaturgia.PARABENSSSSSSSSSSSSSSS.

Leticia Olivares
Atriz e dançarina


Fui assistir à montagem ontem com o meu namorado e adoramos! está muito sensível, digna do texto tão maravilhoso. Parabéns por mais essa realização em terras tupiniquins. O Fábio, meu namorado, comentou que fazia tempo que não ouvia um texto tão bom... e é a mais pura verdade!!

Janete Santiago
Atriz e dançarina


Acabei de chegar do teatro e estou anestesiada!!! O seu texto é de uma delicadeza inesplicável e a interpretação é deslumbrante! Fiquei muito emocionada!Obrigada pelo lindo presente ... estou mais feliz hoje!!!

martes, 22 de septiembre de 2009

ELDORADO NO SESC - ARARAQUARA


SESC Araraquara
Dia(s) 23/10 Sexta, às 20h.


A jornada de um cego em busca do Eldorado. Enquanto atravessa geografias, esse homem escuta causos e canções, tendo como companheira sua rabeca. Concepção, pesquisa e atuação: Eduardo Okamoto. Dramaturgia: Santiago Serrano. Direção: Marcelo Lazzaratto.Após o espetáculo teremos um bate-papo sobre o espetáculo.Teatro Duração: 60 min.

sábado, 19 de septiembre de 2009

"LAS HIJAS DE EVA" EN LA UNIVERSIDAD STENDHAL- GRENOBLE - FRANCIA



27 mai 2009 à l'AmphidiceL'association CHISPA et l'atelier Théâtre du Département d'Espagnol présentent
LAS HIJAS DE EVA

Intégré à l'Association CHISPA (Círculo Hispánico), association culturelle loi 1901 consacrée aux pays hispanophones, l’Atelier Théâtre du Département d’espagnol a l’honneur de vous présenter son douzième spectacle! 8 étudiantes de LLCE2 et LLCE3 espagnol jouent LAS HIJAS DE EVA, une pièce inédite sur le thème du personnage féminin, exploration de quelques facettes d’un éternel féminin revisité en toute liberté par le dramaturge argentin Santiago Serrano, avec qui nous travaillons depuis 5 ans, et qui nous a fait l’honneur d’écrire cette pièce pour le groupe.Ce spectacle s’inscrit dans le cadre des recherches du CERHIUS/ILCEA menées sur le théâtre contemporain dans le Río de la Plata. Nous avons déjà reçu en résidence à Stendhal Santiago Serrano (mars 2006), puis l’écrivain uruguayen Carlos Liscano (mars 2008): grâce à ces liens féconds, les étudiants de notre université ont eu la chance de rencontrer des dramaturges, nous avons mis en scène des textes inédits, et notre réflexion sur le théâtre s’est enrichie dans ce dialogue permanent entre auteurs et comédiens, entre théorie et pratique, entre texte et scène.Cette représentation s’inscrit également dans le cadre d’un fructueux partenariat avec l’Atelier 5 dirigé par Alberte Alonso, de l’Université de Lyon 2, venu à Stendhal les 18 et 19 mai derniers pour représenter son spectacle Yerma et rencontrer le public autour de l’un des thèmes communs aux 2 pièces, le personnage féminin. Notre Atelier a pu à son tour présenter sa première de Las hijas de Eva à Lyon 2 le 20 mai.

Au cours de ce semestre de mobilisation à l’université, l’Atelier théâtre a tenu à manifester son opposition aux réformes en proposant des répétitions alternatives ouvertes à tous, en ville et sur le campus. Si la représentation a finalement été maintenue, c’est grâce à l’investissement et à la créativité des étudiantes, qui ont réussi à donner forme à leurs personnages, au soleil ou sous la pluie, sur les places grenobloises comme à l’ombre des arbres du campus. Je les en remercie infiniment. Et nous adressons toutes nos meilleures pensées à Pauline Louvet, qui a été forcée de renoncer à participer au spectacle.Merci…


- à Santiago Serrano pour sa précieuse collaboration depuis 5 ans,


- au Service Culturel de Stendhal: à Cécile Chemin pour la régie son et lumières; à Marlène Lesueur, Caroline Schlencker, Marie-Christine Bordeaux, Fabienne Marie, - à Alberte Alonso et aux étudiantes de l’Atelier 5, Université de Lyon 2, pour leur heureuse initiative de partenariat et leur accueil à Lyon.
Adaptation et mise en scène: Cristina Breuil
Scène 1: Eva
Eva: Claire D’Albignac
Directora: Amélie Aslanides
Asistente: Céline Mourier

Scène 2: Hombrecitos…
La mujer: Asmae Bouiyadi
Directora: Amélie Aslanides
Asistente: Céline Mourier

Scène 3: De compras con amigas
Marina: Anne-Sophie Campos
Karina: Cindy Rissouant
Josefina: Nicole Berriot
Directora: Amélie Aslanides
Asistente: Céline Mourier

Scène 4: Isolda y… Tristón
Isolda: Tatiana Meilhac
Directora: Amélie Aslanides
Asistente: Céline Mourier

Scène 5: Tres deseos
Nicole: Nicole Berriot
Pauline: Anne-Sophie Campos
Camarero: Asmae Bouiyadi
Directora: Amélie Aslanides
Asistente: Céline Mourier

Scène 6: La mujer robot
La mujer robot: Cindy Rissouant
Directora: Amélie Aslanides
Asistente: Céline Mourier

viernes, 18 de septiembre de 2009

FOTOGRAFIAS DA OFICINA DE DRAMATURGÍA NA CENA CONTÊMPORANEA - BRASILIA







Oficina de Dramaturgia no Festival Cena Contemporanea Brasilia 2009

A ESCRITA TEATRAL COMO ESPAÇO DE ENCONTRO



Oficina de produção e reflexão da escrita teatral. O texto teatral é o ponto de encontro entre a palavra e a ação, por isso o autor trabalha sempre com o risco, procurando como um equilibrista andar na corda bamba entre a literatura e a teatralidade. Que função tem o autor no teatro atual? Quais são as distintas maneiras de produção de texto? É real a oposição entre Teatro de Autor e Teatro de Grupo?





A oficina foi feita no Complexo Cultural da República.





Integrantes

Romain Rolano

Mariana Botelho

Aravinda Juarez

Sheila Campos

Plínio Mósca

Priscila Rodrigues

Ana Cristina

Milton Cesar Pontes

Antonio Negrao

Elisete Teixeira

Ruth Guimaraes

Bárbara de Alencar

Maria Marcia Amaral

Jade Magave

Helen Dieb

Luiz Arthur Vasconcelos